Buscar

Parcerias realiza mais três oficinas para revisão de iniciativas para 2021

Serão oito oficinas realizadas até o dia 24/2 para consolidar o portfólio de iniciativas para elaboração dos planos de ação pelos municípios.




Mais três encontros foram realizados nesta semana, dando sequência à série de oficinas técnicas para reavaliação do portfólio de iniciativas para os desafios do Programa Parcerias Municipais 2021.


Conduzidas pelo coordenador do programa, Renan Bastianon, e pela gerente de projetos da Fipe, Rosane Ribeiro, as oficinas têm acontecido em formato virtual, com apenas alguns participantes presenciais, no Palácio do Governo. Participam dos encontros, os assessores da SDR, Fernando Montoro, Waldir Calazans e Maria de Lourdes Ribeiro Gandra, e a equipe técnica da Fipe - Karla Regnier, Isabela Nogueira, Marcelo Trevenzolli e Thiago Gallian. A cada oficina, especialistas no tema a ser tratado são convidados a contribuir.


O objetivo desses encontros é revisar as iniciativas a serem apresentadas aos municípios para enfrentamento dos desafios do programa em 2021 para elaboração de seus planos de ação que deve iniciar a partir de 8 de março. Além dos sete desafios propostos em 2020, o Programa incluiu, para este ano, um novo desafio que trata especificamente da Covid-19: “Mitigar os impactos da pandemia: na pobreza e na geração de emprego e renda”.


Oficinas realizadas


No dia 9/2, o desafio abordado foi “Fortalecer as redes de combate à violência sexual”, com a participação do Capitão da Polícia Militar Diógenes Bandoli, da Secretaria de Segurança Pública, e a antropóloga e pesquisadora da área de segurança pública, Beatriz Graeff.


No dia 10/2, foram realizadas duas oficinas para tratar de temas ligados à saúde: o desafio “Reduzir as taxas de mortalidade infantil e materna”, com a participação da equipe técnica da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, Roberta Ricardes Pires, Adriana Dias e Marisa Ferreira S. Lima. E “Prevenção e combate a doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs)”, com a participação da professora Claudia Marques Canabrava, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, Eduardo Barbosa Coelho, da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto, Arnaldo Sala, médico na Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, onde coordena a Atenção Básica, e Marília Sobral Albiero, coordenadora da ACT Promoção à Saúde.


A primeira oficina da série foi realizada nesta segunda-feira, 8/2, e tratou do desafio “Promover ambientes menos suscetíveis a roubos”, com a participação de dos especialistas da área de segurança, o Capitão da Polícia Militar Diógenes Bandoli, e a antropóloga e pesquisadora da área de segurança pública, Beatriz Graeff.


Próximas oficinas

18/2 e 19/2 - Oficinas de Educação, com os desafios de “Ampliar o acesso à creche”, “Universalizar o acesso à pré-escola” e “Alavancar a qualidade do Ensino Fundamental I”.

23/2 - Oficina sobre o desafio “Mitigar os impactos da pandemia: na pobreza e na geração de emprego e renda”

24/2 – Última oficina da série com o tópico Combate à pobreza.